– ipb

Designação do projeto| SUSTAINABLE TROUT – Promoção, Valorização e Sustentabilidade da Truta de Boticas

Categoria do projeto| Projetos – Piloto Inovadores

Região de intervenção| Norte

Entidades beneficiárias| Mais Boticas – Associação Empresarial Botiquense, AquaValor – Centro de Valorização e Transferência de Tecnologia da Água (CoLAB), CIMO – Centro de Investigação de Montanha do IPB, Câmara Municipal de Boticas

Data de início| 31-08-2023

Data de conclusão| 31-10-2026

Investimento total| 199 258,00 €

Apoio financeiro| 108 194,00 €

Entidades financiadoras| BPI – Fundação La Caixa / Fundação para a Ciência e Tecnologia – FCT

Equipa AquaValor| Maria José Alves (PI) / Ramiro Gonçalves (Investigador) / André Lemos (Investigador) / Rafaela Guimarães (Investigadora) / Juliana Garcia (Investigadora) / José Santos (Investigador)

Descrição do Projeto

O Alto Tâmega é caraterizado por um baixo VAB no sector secundário. Aumentar o valor económico da região com o desenvolvimento de projetos dinamizadores da economia local através da valorização de recursos endógenos, é de suma importância. A truta, uma das espécies piscícolas mais consumida na Europa, apresenta propriedades nutricionais e bioativas que lhe conferem um alto valor agregado, tornando-se uma matriz alvo para o desenvolvimento de novos produtos alimentares. O projeto SustainableTrout pretende valorizar os excedentes de truta-fário do posto aquícola de Boticas (Município de Boticas), criando um portfólio de produtos alimentares inovadores (CIMO-IPB/AquaValor) para exploração comercial (+Boticas), com o intuito de criar uma marca com forte valor regional e cultural. Pretende-se contribuir para a produção de soluções de alto-valor acrescentado, de interesse nacional, com impacto na sustentabilidade dos recursos endógenos e na dinâmica económica da região de Trás-os-Montes.

Principais Resultados (esperados)

O projeto SustainableTrout terá como principal resultado/output um portfólio de produtos inovadores através do reaproveitamento da truta excedentária assim como a obtenção de um protótipo à base de truta com objetivo de criar a marca “Truta de Boticas”. Este output permitirá uma gestão mais sustentável e eficiente da truta, a valorização dos produtos e recursos endógenos, e o desenvolvimento científico e a transferência de conhecimento e tecnologia para o setor alimentar. Esta transferência de tecnologia irá dar origem a novos produtos e, adicionalmente irá permitir identificar novas aplicações para estes produtos endógenos predominantes na região, promovendo a economia circular e o fortalecimento do tecido económico e industrial do território do Alto-Tâmega.


Cofinanciado por:

Designação do projeto| WOODLANDFUNGI – Valorização e Sustentabilidade dos Cogumelos Silvestres do Barroso

Categoria do Projeto| Projetos – Piloto Inovadores

Região de intervenção| Norte

Entidades beneficiárias| CAPOLIB – Cooperativa Agro Rural de Boticas, AquaValor – Centro de Valorização e Transferência de Tecnologia da Água (CoLAB), CIMO – Centro de Investigação de Montanha do IPB

Data de início| 05-09-2023

Data de conclusão| 31-10-2026

Investimento total| 201 065,00 €

Apoio financeiro| 150 000,00 €

Entidades financiadoras| BPI – Fundação La Caixa / Fundação para a Ciência e Tecnologia – FCT

Equipa AquaValor| Maria José Alves (PI) / Ramiro Gonçalves (Investigador) / Rafaela Guimarães (Investigadora) / André Lemos (Investigador) / Juliana Garcia (Investigadora) / José Santos (Investigador)

Descrição do Projeto

O projeto WOODLANDFUNGI pretende valorizar de forma sustentável um dos recursos endógenos mais predominante na região do Barroso, nomeadamente os cogumelos silvestres, prevendo uma gestão ordenada e sustentável destes recursos através da identificação de áreas com potencial micológico, organizando e regulamentando a sua colheita. Dotar de competências as comunidades locais de boas práticas de colheita para garantir a preservação e continuidade destes recursos no ecossistema será um dos focos a que o projeto se propõe. Paralelamente, o WOODLANDFUNG contemplará atividades de caracterização nutricional e fitoquímica das diferentes espécies de cogumelos silvestres, além do desenvolvimento de produtos diferenciadores. O projeto ambiciona impulsionar a comercialização destes recursos em diferentes formas (fresco/congelado/desidratado) bem como, introduzir no mercado os produtos diferenciadores desenvolvidos que contribuirão por sua vez para a promoção e desenvolvimento da região.

Principais Resultados (esperados)

Do WOODLANDFUNGI resultará a constituição e organização de uma fileira comercial baseada na sustentabilidade, regulamentação interna e valorização dos cogumelos silvestres do Barroso. No final do projeto as comunidades locais estarão capacitadas em boas práticas de colheita no setor micológico garantindo a sustentabilidade destes recursos. Além disso, as novas tecnologias de conservação desenvolvidas tendo em conta a sua comercialização em fresco, seco e congelado, serão um marco importante que permitirá aumentar o tempo de prateleira destes recursos. O desenvolvimento de produtos diferenciadores aproveitando os cogumelos silvestres sem interesse comercial permitirá acrescentar-lhes valor e combater o desperdício alimentar. Delinear ações conjuntas e concertadas no desenvolvimento do setor micológico vai promover o território, resultado da comercialização, marketing e promoção dos produtos e da implementação de eventos gastronómicos, participação em feiras e encontros científicos.


Cofinanciado por:

A Escola Superior de Hotelaria e Bem-Estar, em conjunto com a Universidade Federal do Paraná, irá realizar o “I Seminário Internacional de Fisioterapia – Fisioterapia Aquática” no próximo dia 22 de setembro (Auditório do Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso + online) e no dia 23 de setembro (exclusivamente online).

A Fisioterapia Aquática é uma abordagem terapêutica inovadora que utiliza o meio aquático para a aplicação de técnicas específicas de fisioterapia com o objetivo de melhorar a qualidade de vida de pacientes com uma variedade de condições médicas. Este seminário irá abordar um conjunto de temáticas de forma a fornecer uma visão profunda e prática da fisioterapia aquática, apresentando-se como uma excelente oportunidade para discussão e debate de novos conhecimentos.

O Seminário é gratuito e aberto a toda a comunidade, sujeito a pré-inscrição obrigatória.


A Escola Superior de Hotelaria e Bem-Estar (EHB) assinalou, esta quarta-feira, a abertura oficial do novo ano letivo no Centro Cultural de Chaves, dando as boas-vindas a mais de meia centena de alunos de CTeSP e Licenciatura.
A cerimónia, marcada pela emoção e espírito académico, contou com discursos do Presidente do Instituto Politécnico de Bragança, Prof. Orlando Rodrigues, do Presidente da Câmara Municipal de Chaves, Dr. Nuno Vaz, da Presidente da Comissão Instaladora da Escola Superior de Hotelaria e Bem-Estar, Prof. Maria José Alves, e do Presidente da Associação Académica do IPB, André Caldeira.

A cerimónia, que contou ainda com a presença do Diretor Executivo do AquaValor, Prof. Ramiro Gonçalves, e de várias entidades de referência para o Alto Tâmega e Barroso, foi animada pela atuação, ao piano, de um membro da Academia de Artes de Chaves, bem como de uma atuação da Rauss Tuna do IPB.

Conteúdos fotográficos disponibilizados pelo Instituto Politécnico de Bragança.


A AquaSummer School, iniciativa desenvolvida no contexto do AquaValor, em parceria com o IPB, a Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega (CIMAT) e o Município de Chaves, decorreu em Chaves com o principal objetivo de promover a aquisição de conhecimentos relativos à agua entre os jovens do ensino secundário. Ao longo de uma semana, cerca de 30 jovens participaram em atividades laboratoriais, pedagógicas, lúdicas e culturais.

Esta Escola de Verão que teve as suas atividades a serem realizadas nas instalações do AquaValor, nomeadamente nos seus vários laboratórios de I&D, possibilitou também que os participantes pudessem ficar a conhecer a cidade termal de Chaves, bem como terem contacto com todo o conjunto de potencialidades culturais, económicas e turísticas que este concelho tem para oferecer.

Em termos científicos, o programa abordou a temática da água de forma multidisciplinar, promovendo em paralelo atividades de ensino não formal e experimentação, que foram sempre acompanhadas pelos investigadores do AquaValor. O nível de especialização desta equipa em muito contribuiu para que a Aqua Summer School fosse não só um sucesso, mas que fosse em simultâneo uma ação de estímulo à transferência de conhecimento nas áreas científicas da química clássica, microbiologia, metais pesados, e da própria água termal.


Back to top